Louco
Louco (imagem promocional).png
Informações de Fundo
Filmes
Turma da Mônica – Laços
Programas de Televisão
Turma da Mônica
Interpretado por
Rodrigo Santoro
Inspiração
Visual baseado em Sidnei Lozano Salustre (o "Sidão"), Desenhista desde 1968.
Primeira Aparição
Cebolinha Nº 1 (Editora Abril) - Uma História Muito Louca (Janeiro de 1973)
Informações do Personagem
Nome Completo
Licurgo Orival Umbelino Cafiaspirino de Oliveira[1]
Outros Títulos
Louco Doidivanas da Silva;[2]
Louco Birutildo Malucônio Doidivanas da Silva[3]
Aparência e Personalidade
Um homem adulto com cerca de 25 anos,[4] cabelos loiros e espetados, camisa vermelha, calça curta rosa e sapatos marrons. Totalmente doido e maluco.
Afiliações
Turma da Mônica
Moradia
Casa do Louco,
Bairro do Limoeiro
Família
Mãe do Louco
Maluco Beleza (primo)[5]
Animais de Estimação
Totó (cachorro)
Amigos
Cebolinha (melhor amigo; ocasionalmente)
Poderes e Habilidades
Capaz de infringir as leis da física e da realidade
Frases
"Cenourinha...!!!"

O Louco é um dos personagens mais curiosos e interessantes da Turma da Mônica, por sua personalidade conturbada e cheia de vivências e maluquices. Geralmente aparece apenas nas histórias do Cebolinha, onde o Louco obtêm um maior afeto pelo garoto, principalmente em irritá-lo. O homem sempre pronuncia o nome do Cebolinha para "Cenourinha", deveras o motivo, possivelmente o confunde por ambos serem nomes de plantas, ele ainda ama atazanar o menino de cinco fios com situações de realidade fantástica que ultrapassam as leis da física e da lógica, um estilo das histórias do Louco, onde o próprio cria ilusões existenciais e vai de contraposto ao nosso universo.

Características e traços

Louco.png

Louco é um homem adulto com cerca de 25 anos,[4] de pele clara e cabelo loiro espetado e altamente bagunçado, utiliza uma camiseta vermelha e uma calça curta rosa. Como um aspecto curioso em seu rosto, obtêm por um esticado nariz acompanhado pela sua língua que sempre costuma ficar do lado de fora da sua boca, demonstrando sua loucura.

Bastidores

Criação e desenvolvimento

O excêntrico e divertido personagem foi criado pelo Márcio Araújo — irmão do Mauricio de Sousa —, que na época era roteirista do estúdio e que criou personagens rentáveis, assim como o Bugu, o Rolo e o Jotalhão, por exemplo. Apareceu pela primeira vez na primeira edição da revistinha do Cebolinha, da Editora Abril, publicado em janeiro de 1973.

Biografia

Sua origem, como de outros personagens, se encontra entre várias de muitas contadas ao longo dos anos. A mais citada e conhecida foi que nos anos 60, quando ele ainda era apenas Licurgo, viu um anúncio de um carro DKW azul no jornal que estava ansioso pra ter. Depois de vender algumas coisas, conseguiu comprar o carro, que passou a estimar e cuidar com muito carinho. Porém, num dia ao abrir a garagem, Licurgo viu seu DKW todo pintado de bolinhas vermelhas, fazendo-o surtar e perder o juízo, tornando-se o Louco. Sua irmã, Maria Pirada, foi a responsável por isso por seu irmão ter vendido suas coisas pra comprar o carro.

Relacionamentos

Cebolinha

Louco e Cebolinha.png

O Cebolinha é, possivelmente, o único amigo do Louco. Como o Louco é alguém que tem dificuldade de entender os outros, ele admira a habilidade do Cebolinha de sempre se destacar e se conectar facilmente com as pessoas, tendo-o como companhia em todos os momentos que deseja incomodar alguém, sendo o menininho o alvo de suas maluquices. Embora o Cebolinha às vezes se irrita com as constantes intervenções que o Louco costuma fazer na sua rotina, o garotinho de cinco fios sempre se envolve nas aventuras do seu amigo! Houve por um longo período a controvérsia de saber ao certo se ele é um louco de carne e osso que fugiu de algum hospício ou apenas um amigo imaginário do Cebolinha, pelo fato dele contracenar, na maioria das vezes, com o mesmo. No entanto, por mais raro seja os momentos, Louco é visto na presença de outros personagens, só que apenas em casos especiais.

Aparições

Turma da Mônica (Abril)

  1. Cebolinha Nº 1 - Uma História Muito Louca (primeira aparição)
  2. Mônica Nº 50 - Outra História Muito Louca
  3. Cebolinha Nº 25 - Cebolinha e... adivinhe quem? Isso, acertou! O Louco!
  4. Cebolinha Nº 31 - O Louco (agora em inglês)
  5. Cebolinha Nº 38 - O Louco e o Buraco
  6. Cebolinha Nº 44 - Cebolinha e o Táxi
  7. Cebolinha Nº 58 - Ele Voltou pra Matar a Saudade
  8. Cebolinha Nº 71 - Tá Tudo Doidão
  9. Cebolinha Nº 87 - Louco a gasolina
  10. Mônica Nº 129 - Chico fujão fugiu!
  11. Cebolinha Nº 100 - Loucuras do Louco
  12. Almanaque da Mônica Nº 25 - O Louco-Telefone
  13. Mônica Nº 192 - Adivinhe que é!

Turma da Mônica (Globo)

Turma da Mônica (Panini)

Curiosidades

  • Segundo a história "Vou de Táxi", o endereço de seu hospício é Rua das Telhas, nº 165.[6]
  • Na história "Louco x Do Contra", originalmente, Seu Juca (aparentemente seu colega do sanatório) chamava Louco de "Lourival".[7] Em republicações, o nome é corrigido para "Orival" (um dos nomes do meio do Louco).
  • Apesar do Louco ocasionalmente interagir com personagens diferentes, o fato dele geralmente contracenar apenas com o Cebolinha gerou a ideia de que o Louco poderia ser um fruto da imaginação do Cebolinha. Em 2019, Mauricio de Sousa foi entrevistado sobre o assunto, e respondeu: "Eu tenho dúvida. [...] O Márcio que criou o Louco, o meu irmão. Mas depois caiu na minha mão pra eu fazer história, desenhar, e tudo mais. E efetivamente, no início, meio sem querer, a gente punha o Louco só em histórias onde ele aparecia junto com o Cebolinha e não aparecia mais nada, mais ninguém. Por isso nasceu uma lenda de que então ele seria uma figura criada pela mente do Cebolinha, num momento meio maluquinho. Eu prefiro deixar essa dúvida no ar. Eu sugeri que os roteiristas ponham o menos possível de personagens nas histórias do Louco com o Cebolinha para ficar essa dúvida. E um dia, a gente vai descobrir se isso é real ou não. Um dia um bom psicanalista ou um bom psiquiatra vai me explicar tudo isso..."[8]
    • Também já houve revistas que brincaram com essa ideia. Por exemplo, na história "Haja Imaginação", o Louco diz ao Cebolinha: "Eu dependo da sua imaginação! Sem ela, eu não existo!"[9]
    • Em "Que Dia Loucamente Feliz" (Cebolinha 1ª Série Nº 56 (Editora Panini), agosto/2011), Cebolinha questiona "Não sei por que você só apalece nas minhas histólias!", e Louco responde "Porque eu sou seu fã!"
    • Em "Cerebrolinha" (Cebolinha 2ª Série Nº 66 (Editora Panini), outubro/2020), Mônica pergunta "Como o Cebolinha aguenta você?", e Louco responde "Eu digo que só ele me vê!"

Referências

  1. Parque da Mônica Nº 68 (Editora Globo) - O Dia em Que o Louco Pirou..., Pág. 5 (quadrinho 6), Agosto de 1998
  2. Parque da Mônica Nº 49 (Editora Globo) - Não Abra!, Pág. 4 (quadrinho 2), Janeiro de 1997
  3. Mônica Nº 96 (Editora Globo) - Invasão 3D, Pág. 24 (quadrinho 4), Dezembro de 1994 (arquivo)
  4. 4,0 4,1 Super Trunfo Turma da Mônica
  5. Mônica 1ª Série Nº 57 (Editora Panini) - A História, Hoje, É Sua!, Pág. 56 (quadrinho 3), Setembro de 2011
  6. Cebolinha Nº 34 (Editora Globo) - Vou de Táxi, Outubro de 1989
  7. Cebolinha Nº 243 (Editora Globo) - Louco x Do Contra, Pág. 36 (quadrinho 1), Setembro de 2006
  8. Cruz, Felipe Branco (20 de fevereiro de 2019). "Louco existe ou só é imaginação do Cebolinha? Mauricio de Sousa responde" (em português) UOL Entretenimento. Visitado em 02 de maio de 2021.
  9. Cebolinha 2ª Série Nº 57 (Editora Panini) - Haja Imaginação, Pág. 7 (quadrinho 1), Janeiro de 2020
O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.